Gabriel o Pensador

Novo cd

Voltar ao Topo do Site
Gabriel o Pensador - Sem Crise
  1. Sem Crise Ver Letra
  2. Foi Não Foi Ver Letra
  3. Homem não Presta Ver Letra
  4. Brilho Cego Ver Letra
  5. Linhas Tortas Ver Letra
  6. Boca com Boca Ver Letra
  7. Nunca Serão Ver Letra
  8. Surfista Solitário Ver Letra
  9. No Ritmo, No TempoVer Letra
  10. Deixa Quieto Ver Letra
  11. Na Palma da Mão Ver Letra
  12. Pimenta e Sal Ver Letra
  13. Tudo Certo Ver Letra
  14. Correr pro Abraço Ver Letra
  15. Mi Casa Su Casa Ver Letra

Agenda

  • 01/08 Petrópolis/RJ SESC Nogueira
    +info

  • 07/08 Teresópolis/RJ SESC Teresópolis
    +info

  • 08/08 Petrolina/PE Centro de Convenções
    +info
    Palestra
  • 14/08 Caparica/PT/00 +info

  • 22/08 Franca/SP Bar Copacabana
    +info

Contato:

Telefone: (11) 3459-1991
Email: agencia@agenciademusica.com.br

Receba novidades e promoções por e-mail:


Cadastrar

Letras

01. Sem Crise

SEM CRISE!
Eu tava muito busy mas aqui não tem crise
Aqui só tem crazy
SEM CRISE!
Eu tava no estresse
Mas agora já tá tudo relax
SEM CRISE!
Eu tava muito busy mas aqui não tem crise
Aqui só tem crazy
SEM CRISE!
Tá tudo relax
Tudo que desce sobe, tudo que sobe desce

O mundo em crise
Eu tava muito busy
Andei me afastando das raízes
Agora tô voltando que nem um bumerangue
A música no sangue
Lugar de caranguejo é no mangue
Não ando de Mustang nem chego de Ferrari
Mas quando chego o bicho pega mais que num Safari
Então não pare, não pare na pista
Todo mundo no Brasil é artista!
Eu tô na lista, pode conferir
Eu tô na lista pra entrar e pra sair
E você tá na lista vip
Perdi meu aparelho mas teu nome já tá salvo no meu chip
Letra A, vamos começar
Liga o microfone e bota a bola pra rolar
Eu bato o escanteio e corro pra cabecear
E se me derrubar o juiz tem que apitar

SEM CRISE!
Eu tava muito busy mas aqui não tem crise
Aqui só tem crazy
SEM CRISE!
Eu tava no estresse
Mas agora já tá tudo relax
SEM CRISE!
Eu tava muito busy mas aqui não tem crise
Aqui só tem crazy
SEM CRISE!
Tá tudo relax
Tudo que desce sobe, tudo que sobe desce

Mergulha no som do Deep que pega mais do que gripe
Quando você viu a onda eu já tava embaixo do lip
Aqui tem muito cacique pra pouco índio guerreiro
Mas eu não desisto nunca, sou brasileiro
Como Antônio Conselheiro, Zumbi, Tiradentes
Tô no corre, tô correndo das correntes
E meu sonho recorrente virou realidade
Mas o sol da liberdade tava muito quente
Fui pra sombra, debaixo da marquise
Tirei minha gravata, abri minha valise
E a vida me mostrou
Que, além do meu amor, eu nunca tive nada de valor
Se o tempo for dinheiro, o negócio é ficar pobre
Eu gasto o tempo a vista pra que o tempo nunca sobre
Juntei uma fortuna de verdade: paixão e amizade
A crise que me quebra é a saudade

SEM CRISE!
Eu tava muito busy mas aqui não tem crise
Aqui só tem crazy
SEM CRISE!
Eu tava no estresse
Mas agora já tá tudo relax
SEM CRISE!
Eu tava muito busy mas aqui não tem crise
Aqui só tem crazy
SEM CRISE!
Tá tudo relax
Tudo que desce sobe, tudo que sobe desce

Na pista de dança a crise não me alcança
Olha só como essa Deusa dança:

Ela sobe, ela desce, ela desce, ela sobe,
Ela desce, ela sobe, ela sabe descer
Ela desce, ela sobe, ela sobe, ela desce,
Ela desce, ela sobe, ela deve saber
Ela sabe subir, ela sabe descer
Ela sobe, ela desce, ela deve saber
Ela sobe, ela desce, ela desce ela sobe,
Ela sabe, ela sabe, ela sabe fazer!

SEM CRISE! (…)

Pensou que eu tava de bobeira, de bobeira é que eu não tava
Pensa que eu tô de bobeira, mas de bobeira eu não tô
Pensa que eu tô de bobeira, de bobeira é que eu não tava
Pensa que eu sou de bobeira, mas de bobeira não sou
Pensa que eu tô de bobeira, de bobeira eu não tava
Pensou que eu tava de bobeira, mas de bobeira eu não tô
Pensou que eu tava de bobo, mas de bobo é que eu não tava
Fiz de bobo quem pensava, fiz de bobo quem pensou.

Ver letra completa

02. Foi Não Foi

Participação Especial: Carlinhos Brown

Será que tá pegando? será que vai comer?
será que tá fumando? será que vai beber?
será que tá plantando? será que vai colher?
será que tá fazendo ou deixando de fazer?

o que será que será? deixe que falem, que digam
deixe que digam, que falem, deixa esse papo pra lá
se disserem que eu saí / foi pra chegar
se disserem que eu cheguei / foi pra somar
se disserem que eu dormi / foi pra sonhar
se disserem que eu sonhei não quero acordar

e o meu sonho só eu posso sonhar
mas a fantasia agora eu posso contar
mas só conto se você contar a sua também
e prometer que não vai mais contar pra quase ninguém!

Fofoca quando vai ficando feia fica boa
Quando vai ficando boa vira faca
Da faísca eu faço fogo, do fogo eu faço fumaça

Da faísca eu faço fogo, do fogo eu faço fumaça

Fofoca quando vai ficando feia fica boa
Quando vai ficando boa vira faca

Fulano Faro de Fole
Feito fofo em farinhada
Formou a família força
Fortalecendo a fornada
Fervendo Fortificante
Ferveu a fornada fonte
Fez fita ficar fibrante
Fogaréu fervendo fafo
Figura forte fanfarra
Faz frade ficar furada
Forró da farra ferrada
Faminta fome de foice

Com tanto “F” na boca
Fez chuva chover farofa
Forçou fazendo fofoca
E a língua bateu na porta

Bateu ninguém notou
Eu fico no cantinho apertando a minha flor
Bateu ninguém notou
Eu fico de fininho apertando a minha flor
Bateu ninguém notou
Eu fico no cantinho apertando a minha flor
Bateu ninguém notou
Eu fico de fininho apertando a minha flor

Da faísca eu faço fogo, do fogo eu faço fumaça

Eu vi um fraco, afiando a faca pra enfiar no forte
Quando o forte viu a faca ficou de frente pra morte
O forte ficou mais fraco, o fraco ficou mais forte
O fraco contou com a força, o forte contou com a sorte

Ver letra completa

03. Homem Não Presta

O Adão comeu a fruta e a Eva se perdeu
Julieta se matou só por causa do Romeu
Minha bisa já dizia, minha avó já ensinava
Minha mãe já repetia quando meu pai vacilava
O que?
Homem? Homem não presta! (3x)
Minha mina não me entende, minha ex não entendeu
Homem? Homem não presta! (3x)
Todo homem é canalha e cafajeste, menos eu
Ela vem feito um vulcão, copo de whisky na mão
Bebe sem moderação... faz assim comigo não!
Pirulitinho e chiclete, piri-pi-periguete
Muita calma nessa hora, ah, se eu te pego lá fora...
Vou te dar carona e te levar pra comer (3x)
Vou, nham-nham!
Homem? Homem não presta! (3x)
Minha mina não me entende, minha ex não entendeu
Homem? Homem não presta! (3x)
Todo homem é canalha e cafajeste, menos eu
“Oi! Você vem sempre aqui?”
“Linda! Onde foi que eu te vi?”
“Sei... qual é o seu signo?”
“Bom... cê faz o que?”
“Hum, que interessante!”
“Não, eu sou sincero.”
“É, tequila? Eu quero!”
“Tá, bebe aí, bebe aí!”
Eu não vou te machucar, é só um beijinho
Eu não vou te machucar, é só um carinho
Eu não vou te machucar, é só um pouquinho
Vem cá, Chapeuzinho, vem com a Vovó!
Homem? Homem não presta! (3x)
Minha mina não me entende, minha ex não entendeu
Homem? Homem não presta! (3x)
Todo homem é a canalha e cafajeste, menos eu

Minha ex-namorada é bonita e é sarada
Quando a gente terminou, eu encontrei um camarada
E contei pro camarada várias paradas que se conta só pra quem é camarada
E esse meu camarada prometeu não dizer nada
Disse que fechou comigo, apesar de também ser amigo da minha ex-namorada
Eu falei “valeu, amigo”, ele disse “então te ligo, vâmo sair pra balada!”
Mas o tempo passou e ele não me ligou
Outro dia ele me viu e foi pra outra calçada
Eu tentei ligar pra ele mas se eu tento eu não consigo
Me deu até saudade do amigo!
Resolvi então fazer uma visita
Mas se eu conto, irmão, você não acredita:
Eu subi de elevador e ela desceu de escada!
Quase encontro com a minha ex-namorada
Homem? Homem não presta! (3x)
Uma mulher me disse na saída de uma festa
Homem? Homem não presta! (3x)
Me fez até lembrar da minha ex que me detesta
Homem? Homem não presta! (3x)
Me disse como se ela lesse assim na minha testa:
Cachorro, mentiroso, canalha, cara-de-pau
Sem vergonha, descarado, tarado, débil mental
Vagabundo, depravado, galinha, porco, machista
Estúpido, grosseiro, sem noção e egoísta
Cretino, pervertido, mau-caráter, safado
Ridículo, nojento, asqueroso, desgraçado
Frouxo, Zé ruela, imbecil, vacilão
Pela-saco, caozeiro, inseguro e fanfarrão!

Ver letra completa

04. Brilho Cego

Participação especial: Rogério Flausino

Brilho Cego Deixa a luz brilhar
Deixa o amor crescer (2x)

Luz brilhar pra mim é bom sinal
Luz brilhar pra mim é natural
Luz brilhar pra mim é bom sinal
Feito o brilho dos seus olhos que eu olho não tem igual
Feito o sol e feito a lua pelo sol iluminada
A luz que lá de cima ilumina a minha estrada
E com a luz que é emprestada pelo sol e pela lua
Eu continuo a caminhada e a caminhada continua

Deixa a luz brilhar, fica tranquila
Deixa a lua cheia se enxaguar na sua pupila
Enxuga as lágrimas e o suor da testa
É que daqui a pouco chega o sol fazendo festa

Agora eu não pergunto mais aonde vai a estrada
Agora eu não espero mais aquela madrugada
Vai ser, vai ser, vai ter que ser, vai ser faca amolada
Um brilho cego de paixão e fé, faca amolada

Deixa a luz brilhar
Deixa o amor crescer (4x)

Gosto de você assim
É desse jeito
Como eu gosto de você do jeito que você é
Como você é
E você diz no meu ouvido que duvida do que eu digo
Quando eu digo como eu gosto de você assim
Você duvida
Duvida não, da vida!
E nem duvida de mim
Que eu fui ao fundo do poço pra ver que o poço tem fim
Eu fui ao fundo do poço e foi do fundo que eu vim
E vi que o poço no fundo nem é tão fundo assim
Eu fiz do poço uma fonte
Eu fiz da água uma ponte
Eu fiz um túnel pra poder atravessar o monte
Eu vi um belo horizonte me esperando
Você na minha frente e o teu sorrisso me chamando

Deixar a sua luz brilhar e ser muito tranquilo
Deixar o seu amor crescer e ser muito tranqüilo
Brilhar, brilhar, acontecer, brilhar, faca amolada
Irmão, irmã, irmão, irmã de fé, faca amolada

Deixa a luz brilhar
(no teu sorriso)
Deixa o amor crescer
(e ser tranqüilo) (4x)

Deixar a sua luz brilhar no pão de todo dia
Plantar o trigo e refazer o pão
Deixar o seu amor crescer na luz de cada dia
Beber o vinho e renascer na luz
Vai ser, vai ser, vai ter que ser, vai ser faca amolada
A fé, a fé, paixão e fé, a fé
Vai ser, vai ser, vai ter que ser, vai ser faca amolada
O chão, o chão, o sal da terra, o chão
Vai ser, vai ser, vai ter que ser, vai ser faca amolada
O brilho, o brilho de paixão e fé
Vai ser, vai ser, vai ter que ser, vai ser faca amolada
O brilho, o brilho de paixão e fé

Ver letra completa

05. Linhas Tortas Ver clipe

Alguns às vezes me tiram o sono, mas não me tiram o sonho
Por isso eu amo e declamo, por isso eu canto e componho
Não sou o dono do mundo, mas sou um filho do dono
Do verdadeiro Patrão, do verdadeiro Patrono

- E aí, Gabriel, desistiu do cachê?
- Cancelei um trabalho aí pra não me aborrecer.
- Explica melhor, o que foi que você fez?
- Tá, tudo bem, eu explico pra vocês:

Tudo começou na aula de português
Eu tinha uns cinco anos, ou talvez uns seis
Comecei a escrever, aprendi a ortografia
Depois as redações, para a nossa alegria
Professora dava tema-livre, eu demorava
Pra escolher um tema, mas depois eu viajava
E nessas viagens os personagens surgiam
Pensavam, sentiam, choravam, sorriam
Aí a minha tia-avó, veja só você
Me deu de aniversário uma máquina de escrever
Eu me senti um baita jornalista, tchê
Que nem a minha mãe, que trabalhava na TV
Depois, já aos quinze, mas com muita timidez
Fiquei muito sem graça com o que a professora fez
Ela pegou meu texto e leu pra turma inteira ouvir
Até fiquei feliz mas com vontade de fugir
Então eu descobri que já nasci com esse problema
Eu gosto de escrever, eu gosto de escrever, crer, ver
Ver, crer, eu gosto de escrever e escrevo até até poema

REFRÃO Meu Pai, eu confesso, eu faço prosa e verso
Na feira eu vendo livro, no show eu vendo ingresso
Na loja eu vendo disco, já vendi mais de um milhão
Se isso for um crime, quero ir logo pra prisão

- Ih, pensador, isso é grave, hein!

É, vovó dizia que eu já escrevia bem
Tentei me controlar, me ocupar com um esporte
Surf, futebol, mas não era o meu forte
Um dia eu fiz uns raps e achei que tava bom
Me batizei de Pensador e quis fazer um som
Ficar famoso e rico nunca foi minha meta
Minha mãe já era isso, eu só queria ser poeta
Meu pai, um homem sério, um gaúcho de POA
Formado em medicina, não podia acreditar
Ao ver o seu garoto Gabriel
Com um fone nos ouvidos viajando com a caneta no papel
- O que você tá fazendo? Vai dormir, moleque!
- Ah, pai, peraí, eu só tô fazendo um rap!
Ninguém sabia bem o que era, mas eu tava viciado naquilo
E viciei uma galera!

REFRÃO

Não tô vendendo crack, não tô vendendo pó
Não tô vendendo fumo, não tô vendendo cola
Mas muitos me disseram que o que eu faço é viciante
E vicia os estudantes quando eu entro nas escolas
Até os professores às vezes se contaminam
Copiam minhas letras e textos e disseminam
Sementes do que eu faço, já não sei se é bom ou mau
Mas sei que muito aluno começa a fazer igual
Escrevendo poemas, escrevendo redações
Fazendo até uns raps e umas apresentações
Me lembro dos meus filhos e a saudade é cruel
Solidão me acompanha de hotel em hotel
Casamento acabou, eu perdi na estrada
O amor que ainda tenho é o amor da palavra
É falar e cantar, despertar consciências
Dediquei a vida a isso e a maior recompensa
É servir de referência pra quem pensa parecido
Pra quem tenta se expressar e nunca é ouvido
É olhar pra minha frente e enxergar um mar de gente
E mergulhar no fundo dos seus corações e mentes
É esse o meu mergulho, não é o do Tio Patinhas
É esse o meu orgulho, escrever as minhas linhas
Escrevo em linhas tortas, inspirado por alguém
Que me deu uma missão que eu tento cumprir bem
Escuto os corações, como um cardiologista
Traduzo o que eles dizem como faz qualquer artista
Que ganha o seu cachê, que é fruto do trabalho
De cigarra e de formiga, e eu não sei o quanto eu valho
Mas sei que quando eu ganho, divido e multiplico
E quanto mais eu vou dividindo, mais fico rico
Rico da riqueza verdadeira que é de graça
Como um só sorriso que ilumina toda a praça
Sorriso emocionado de um senhor experiente
Em pé há duas horas debaixo do sol quente
Ouvindo os meus poemas em total sintonia
Eu sou ele amanhã, e hoje é só poesia.

REFRÃO

Ver letra completa

06. Boca com boca

Participação Especial: Nando Reis / Infernal Produções

A minha boca olhou pra sua boca
E tá com uma vontade louca
De juntar boca com boca
Vontade louca
De juntar boca com boca
A vontade não é pouca
Deu até água na boca
A minha barriga olhou pra sua barriga
E já ficou naquela instiga
De juntar barriga com barriga
Naquela instiga
Juntar barriga com barriga
Deu um frio na barriga
Uma vontade roxa
A minha coxa olhou pra sua coxa
E tá com essa vontade roxa
De juntar coxa com coxa
Coxa com coxa, boca com boca
Barriga com barriga
Diz que Deus castiga
Será?

REFRÃO 1
Eu tipo homem das cavernas olhei
Olhei pras suas pernas, olhei
Puxei os seus cabelos devagar
Saindo da caverna pra voar
Eu tipo homem das cavernas olhei
Olhei pra suas pernas, olhei
Chamei as suas pernas pra dançar
Pernas pra que te quero, pra que te quero

REFRÃO 2
Então você virou o que eu sou
E eu virei o que serei quando você
Fizer de mim o que quiser
E me disser o que vier à sua boca
E eu virei o que você disse que sou
E por você farei, faço o que for
Pois se você quiser é só dizer
Que quer a minha boca

A minha roupa olhou pra sua roupa
E ta com uma vontade louca
De se desabotoar com ela
O meu botão olhou pra sua fivela
A minha fivela olhou pro seu botão
E que vontade louca foi aquela
De se desafivelar então
Se misturar no chão, abrindo zíperes
E portas e janelas do meu quarto
Para uma quarta ou quinta dimensão
Que diversão!
Coxa com coxa, barriga com barriga
Coxa com barriga, barriga com coxa
Coxa com barriga e boca
Boca com barriga e coxa no colchão
Respiração
Coxa com coxa, barriga com barriga
Coxa com barriga, barriga com coxa
Coxa com barriga e boca
Boca com barriga e coxa
Coxa com boca e barriga
Diz que Deus castiga
Acho que não.

REFRÃO 1
REFRÃO 2

Pernas pra que te quero
Pra onde quer que queiram me levar
Me leva pra qualquer lugar
Esquece tudo, esquece o mundo e olha pra mim
Abre esse sorriso, que eu preciso dessa boca assim
Vem juntar boca com boca
Quero nem pensar no fim
Tamo junto e misturado
E o resultado não vai ser ruim
Faz o não virar talvez, e o talvez virando sim
Mais ou menos assim

REFRÃO 2

Ver letra completa

07. Nunca Serão

Eu caminhava no meu Rio de Janeiro quando alguém me parou e falou
Aí parceiro me dá tua mão que eu quero ver se tá com cheiro
Porque eu sou um cara honesto e detesto maconheiro
Eu tinha acabado de sair do banheiro
E dei a mão pra ele cheirar, mas foi uma cena “bizonha”
Ele cheirou a minha mão por um tempo
Eu disse espera tu não é o capitão Nascimento?
Que vergonha meu capitão, procurando maconha no calçadão
Qual é a tua missão?
Eu vi teu filme, mas não me leva a mal
Não me tortura assim não, que eu sou um cara legal
Em certas coisas eu concordo contigo
Mas não é assim que você vai achar os grandes bandidos
Este pais tá “fodido” ele falou eu sei disso
Quando entrei na PM eu assumi o compromisso
Luto pela justiça (eu também)
Sem justiça não tem paz e sem paz eu sou refém
A injustiça é cega e a justiça enxerga bem
Mas só quando convém
A lei é do mais forte
No BOPE ou na FEBEM
Na boca ou no Supremo
Que justiça a gente tem
Que justiça nós queremos

REFRÃO
Os corruptos caçados (NUNCA SERÃO)
Cidadãos bem informados (NUNCA SERÃO)
Hospitais bem equipados (NUNCA SERÃO)
NUNCA SERÃO (3x)
Os impostos bem usados (NUNCA SERÃO)
Os menores educados (NUNCA SERÃO)
Todos alfabetizados (NUNCA SERÃO)
NUNCA SERÃO (3x)

Capitão, não sei se você soube dessa história
Que rolou num povoado
Peruano se não me falha a memória
Um político foi morto pelo povo
Um corrupto linchado por um povo
Que cansou de desrespeito
E resolveu fazer justiça desse jeito
Foi um linchamento, foi um mau exemplo
Foi um mau exemplo, mas não deixa de ser um exemplo
Eu sou contra a violência, mas aqui a gente peca
Por excesso de paciência
Com o rouba mas faz dos verdadeiros marginais
Chamados de Doutor e Vossa Excelência
Cujos nomes não preciso dizer
A imprensa publica mas tudo indica que a justiça não lê
Diz que é cega mas o lado dos colegas ela sempre vê
Capitão, isso é um serviço pra você

Deputado pede pra sair, pede pra sair deputado
Sabe o que você é? Um moleque, é isso o que você é
Senador pede pra sair (desisto)
Mais alto senador (DESISTO)
Vagabundo, cadê o dinheiro que você desviou dessa obra aqui?
Não sei não. Fala Vossa Excelência, é melhor falar.
Eu não sei. Cadê a verba da merenda que sumiu?
02 o corrupto não quer falar não
Pode pegar o cabo de vassoura (tá bom eu vou falar, eu vou falaaaar)

REFRÃO

Pensei com o Nascimento que não pensa como eu penso
Mas pensando nós chegamos num consenso
Nós somos vitimas da violência estúpida que afeta todo mundo
Menos esses vagabundos lá da cúpula corrupta hipócrita e nojenta
Que alimenta a desigualdade da desigualdade
Se alimenta mantendo essa política perversa
Que joga preto contra branco pobre contra rico e vice versa
Pra eles isso é jogo, esse é o jogo
Se morre mais um assaltante ou mais um assaltado tanto faz
Pra eles não importa gente viva ou gente morta
É tudo a mesma merda
Os velhos nas portas dos hospitais
As crianças mendigando nos sinais
Pra eles nós somos todos iguais
Operários, empresários e presidiários e policiais
Nós somos os otários ideais
Enquanto a gente sua e morre
Só os bandidos de gravata seguem faturando e descansando em paz
Enquanto estes covardes continuam livres
Nós só temos grades, liberdade nós já não temos mais

Ver letra completa

08. Surfista Solitário Ver clipe

Participação Especial: Jorge Ben Jor

Olhei pro mar, pra não me perder de vista
E vi uma onda solitária, correndo sem quebrar
Como se fosse ela uma surfista
A onda olhou pra mim, me convidou jogando a sua crista
Abrindo os braços como ninguém abre
E eu que não sou Cristo, mas entendo de milagre
Fui andando sobre as águas do jeito que só quem conhece sabe

Aloha!
Salve Jorge!
Salve Gabriel!
Aí, o mar subiu Jorge
Subiu. Tão dizendo que tá 15 pés
E olha essa praia que beleza
Que beleza, que sereia, maravilhosa

REFRÃO
Acorde num domingo, tome seu café
Pegue a sua prancha, tome a benção à mãe
Reze com fé e vai pro mar

Solitário Surfista (5x)

Mar doce lar, vasto e profundo, mais vasto é o meu coração
Que não cabe nesse mundo e precisa transbordar
Navegar não é preciso, é preciso surfar
Nada parado, tudo em movimento
O chão é a parede e é o teto ao mesmo tempo
A parede desabando e eu lá dentro, acelero e acelera o batimento
Tanto bate até que fura, água mole em pedra dura
Cada louco tem a sua loucura
Eu viajo por isso, quase sempre sem visto
A sereia me chama, eu não resisto
Sei que cada feiticeira tem a sua maneira de transformar
Uma laje de pedra em ouro maciço, parece feitiço
A sereia me chama, eu viajo por isso

Solitário Surfista (5x)

REFRÃO

Cheguei na praia, olhei pro mar, entrei no mar
Entrei no mar, olhei pra onda, entrei na onda
Entrei na onda e fiz a onda até a areia
Entrei na onda que corre na minha aldeia
A minha onda não é uma onda qualquer
Da minha onda eu saio de cabeça feita
E na areia uma sereia com pernas de mulher
Mais perfeita do que a onda mais perfeita
Adivinhava o meu futuro com os seus óculos escuros
Me filmando nas esquerdas e direitas
Cheguei na areia e a sereia entrou no mar
E só de onda eu me deitei onde ela deita
Tubarão em pele de cordeiro, um ataque de surpresa
Predador virando presa, uma sereia com pernas de mulher
Perfeição ou perversão da natureza?

Solitário Surfista (5x)

Demorou
Mar tava bom?
Ficou melhor, chegou Jorge Benjor
Solitário Surfista não tá mais só
Muito obrigado, mar, por isso tudo
Meu amigo Gabriel, que maravilha
É isso aí cumpadre (...)

Ver letra completa

09. No Ritmo, No Tempo

Participação Especial: Cone Crew Diretoria

No ramo da rima, no rumo do rimador Aqui é Cone Crew e Gabriel o Pensador No ritmo, no tempo, no liquidificador Misturado 100%, tamo junto, demorô!

Correndo a gente às vezes se atrasa
E eu fui entender isso bem longe de casa, na Indonésia, num barco, isolado do mundo
Num tubo demorado que durou quase 5 segundos
Qual é o valor de um segundo, qual é o valor de um minuto?
Pergunta a uma família num momento de luto
Qual é o valor de uma hora, qual é o valor de uma tarde?
Pergunta a quem tá preso do outro lado das grades
Todo mundo tem igual, 24hs por dia
Riqueza é usar o tempo com sabedoria
Usar o tempo não é pensar só em trabalho, não
Pelo contrário, é saber aproveitar com os irmãos
Correr sem pressa, parar pruma conversa, falar do que interessa
(Manda a letra, Pensador!)
Escuta essa:
Não se estressa com traíra, pela-saco, interesseiro
Porque o tempo vale mais do que status e dinheiro
Podem até tomar meu prato de comida
Mas quem toma o meu tempo tá me tomando uma parte da vida
Eu não me ligo em fofoca e intriga e nem em quem se liga
Escolho bem meus amigos, e claro, minhas amigas!
Eu tô num ritmo bom, no microfone com a Cone, o tempo passa enquanto eu faço o meu som

No ramo da rima, no rumo do rimador
Aqui é Cone Crew e Gabriel o Pensador
No ritmo, no tempo, no liquidificador
Misturado 100%, tamo junto, demorô!

Eu penso nisso quase o tempo inteiro
Se valeu a pena é que foi verdadeiro
Sei que é foda se faltar dinheiro
Quero ta junto com os meus irmãos

Quero ta com 60 anos, fazendo show com meus manos
Visitando todo os pico dos lugares que passamos
E se tem galinha no palco, será que já vou ta vô?
Vou viajar com meus netos que é motivo pra compor

UH UH demoro!
Batoré, dread grisalho
Sem carteira de trabalho
De cachecol e agasalho
O tempo vai devagarinho
Sem relógio eu me atrapalho
Quem cruzar nosso caminho vai pra casa do

O tempo passa
E eu tô na praça, vendo o tempo passar
Num mundo que é só desgraça
Mas, contra eu vou lutar, pra poder melhorar
Vivendo no tempo tenso que nem soco é mais de graça

Tão cobrando a promoção, 2 chutes e um botadão com adicional de tapa no ouvido do individuo vivo
No tempo perdido não perco o tempo do som na minha mente era diferente mas assim também ta bom

No ramo da rima, no rumo do rimador
Aqui é Cone Crew e Gabriel o Pensador
No ritmo, no tempo, no liquidificador
Misturado 100%, tamo junto, demorô!

Eu penso isso quase o tempo inteiro
Se valeu a pena é que foi verdadeiro
Sei que é foda se faltar dinheiro
Quero ta junto com os meus irmãos

Não quero nada mais
Além de um tempo a mais
Com os amigos leais, ouvindo o cachimbo da paz
Tanto faz
Pra mim tanto faz
Já que o tempo não volta vou dar um gás
Então vamo que vamo, meu mano
Chama os muleque
Avisa que eu ainda tô aqui no mesmo cep
Bota as carne na brasa vê se tu não esquece
Liga os auto falante só reggae e bastante rap

Esse é meu mundo perfeito
Eu me sinto a dois passos do paraíso
Deixa eu viver do meu jeito
Não venha me regular porque não é hora pra isso

Foi-se o tempo em que o tempo era respeitado
Quem trabalha a vera, geralmente tem um salário atrasado
No tempo da monarquia
O povo era escravizado
Já em tempo de deputado o povo só é roubado

Foi comprovado que o que passou não volta mais
O tempo em que eu vivo envergonha meus ancestrais
Quem pensa como eu penso no mundo, toma uma surra
Demoro chama as amigas, só não chama a loira burra

No ramo da rima, no rumo do rimador
Aqui é Cone Crew e Gabriel o Pensador
No ritmo, no tempo, no liquidificador Misturado 100%, tamo junto, demorô!

Eu penso isso quase o tempo inteiro
Se valeu a pena é que foi verdadeiro
Sei que é foda se faltar dinheiro
Quero ta junto com os meus irmãos (2x)

No ramo da rima, no rumo do rimador
Aqui é Cone Crew e Gabriel o Pensador
No ritmo, no tempo, no liquidificador
Misturado 100%, tamo junto, demorô!

No ramo da rima, no rumo do rimador
Aqui é Cone Crew e Gabriel o Pensador
No ritmo, no tempo, no liquidificador
Misturado 100%, tamo junto, demorô!

Ver letra completa

10. Deixa Quieto

Música Incidental: Carinhoso

E aí menina, tudo? Por aqui tudo “tranq”
Tô assim tipo no ritmo daquela do Skank
Deixo a vida me levar pra onde a vida quiser
Mas as vezes também vou para onde a vida não quer
E você, tudo certo contigo? A cabeça no pescoço e o piercing no umbigo?
Aí que mora o perigo. Deus castiga, mas eu sei que você vale o castigo
Deixa quieto, deixa quieto, deixa quieto
Deixa quieto, cê sabe que eu sou mais que discreto
Nunca mais falei contigo, mas te vejo direto
Te gravei na retina, nem lá na Capela Sistina
Eu vi uma imagem tão bonita refletida no teto
Deixa quieto menina, cê sabe que eu te achei gente fina
Não é só papo de cama, sauna e piscina
Você nem levou fé, mas era mesmo verdade
Aquela idéia que eu te dei quando eu falei de saudade

REFRÃO
Vem, vem sentir o calor
dos lábios meus (e se você me chamar 2x)
Vem, vem sentir o calor
dos lábios meus (e se você me chamar 2x)

Não levo jeito pra isso, cê me conhece
Com a gente é sem compromisso e sem estresse
Quando é pra ser já é, quando não é tudo bem
Sou todo seu mas ninguém é de ninguém
Demorou, quando é que a gente vai se encontrar?
Pra conversar um pouquinho e depois parar de falar
Acho que sexta eu vou colar lá no pico
Se você brota do meu lado é do teu lado que eu fico
Eu chego devagar, você sabe que eu chego
Depois da meia-noite eu me transformo em morcego
Cê sabe que eu tô sussa, cê sabe que eu tô susse, tô sim
Mas se você olha pra mim acabou meu sossego
Vai com aquele decote?

(Meu coração)
Já tá batendo mais forte, eu vou voar no cangote
Ainda nem virei morcego e já tô pronto pro bote

REFRÃO

Meu coração, não sei por quê, quando te vê
Sempre me diz pra te dizer
Que com você eu fico feliz de verdade
Nosso contrato não tem cláusula de exclusividade
E a gente tem compromisso, mas é com a felicidade
E se você me chamar eu vou correndo
E se você me chamar eu já tô lá
Você me pede sorrindo que eu já to rindo e fazendo
Qualquer coisa cê grita, mas nem precisa gritar
Qualquer coisa cê grita, vê que noite bonita
Quando entrei no chuveiro, eu me lembrei dessa fita
A gente viu esse filme, eu não me lembro do fim
Mas a trilha sonora era mais ou menos assim:
Aquele som do Tubarão quando ataca
Aquele som do Psicose, aquela cena da faca
Alguma coisa parecida com o batuque do surdão da torcida
Quando meu time é campeão no Maraca.

REFRÃO

Meu coração não sei por quê
Bate feliz quando te vê
E se você me chamar
Serei feliz, feliz

Ver letra completa

11. Na Palma da Mão

Viajei pelo Nordeste pra fazer um som maneiro
Com Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga
Vim do Rio de Janeiro fui até Campina Grande
Viajando na riqueza que nenhum dinheiro paga
Eu viajei nesta cultura brasileira e misturei no hip hop o forró e o baião
Eu fiz um rap na sanfona e na zabumba e quando eu canto o povo ajuda na palma da mão

REFRÃO
Bate na palma da mão
Aqui na minha mão
Bate na palma da mão
É hip hop, forró e baião
(2x)

O cantador que pensa de improviso
É um pensador que canta com emoção
Em cada passo nesse chão que eu piso
Eu também deixo um pedaço do meu coração
Levando a vida na improvisação
Com muito amor e um pouco de juízo
A gente faz o choro virar riso
E transforma um problema numa solução

REFRÃO

Ouvi falar que um tal de Lampião
Roubava muito junto com seu bando
Depois fugia a pé pelo sertão
Com a polícia toda lhe caçando
Sua cabeça acabaram cortando
Pra dar exemplo como punição
Mas hoje em dia tem bem mais ladrão
Roubando mais que o Lampião
Com todo mundo olhando

REFRÃO (2X)

Foi na Junina, Caruaru, Campina
Conheci essa menina, dois pra lá e dois pra cá
Gostei da brincadeira, tô no jogo é pra jogar
Pulei numa fogueira, tô no fogo é pra queimar
E chegou com uma peixeira o namorado meio bolado
Porque a sua namorada me chamou pra forrozar
Que é isso, meu irmão? Não se aperreie não
Tua mina tá me dando uma lição e viva São João!
Tô indo ali com ela pra dançar uma quadrilha
Esse país tá cheio de armadilha
Quadrilha que só dança e quadrilha que não dança
Que é quadrilha de outro tipo, tipo as de Brasília

REFRÃO
(2X)

Ver letra completa

12. Pimenta e Sal

Participação Especial: Afrorreggae

Na embolada a rima é natural
Pra levantar o astral
Joguei pimenta e sal
Pimenta e sal

REFRÃO
Joguei pimenta e sal
Na grama do quintal
Pra levantar o astral meu amor
Deixa eu sair do caos
Subir alguns degraus
Degrau após degrau eu vou

O velho entrou ??? pela marginal
Deixou passar pra ver o sol se por
Tá vendo o temporal “tô” me sentindo mal
Mas eu vou ficar legal eu vou

REFRÃO
Eu vou subir subir subir
Até onde for é
Eu vou subir subir subir
Até me lembrar quem eu sou

Ouvi Raul, Tim Maia Racional
Respirei fundo e mergulhei no fundo musical
Joguei estrume no instrumental
Joguei um reggae na raiz que é pra regar legal
Na embolada a rima é natural
É feito grito na arquibancada ou na geral
Quando a torcida faz um Carnaval
Lá no Fla Flu, ou no Ba Vi ou no Gre Nal
Na embolada eles embolam, na balada eles enrolam
De Vigário ao Cantagalo, da Rocinha a Bombaim
Eu vou assim até onde for
Pode ser que o “bicho” pegue, tantas vezes já pegou
Afroreggae pensador, pode crer, pode ser
Pode ser que o bicho pegue
Na “maceta” de um tambor e faça um breque
Que eu me lembro desde os tempos de moleque
Quando todo esse barulho começou

“Tô” aqui ( “tô” aqui) “tô” aqui (tamo junto)
Subindo aonde for preciso
Sei bem onde eu piso
Eu sei que você sabe
Se não sei eu improviso

Eu vou subir subir subir
Até onde for, é
Eu vou subir subir subir
Até me lembrar quem eu sou
Eu vou seguir seguir seguir
Até onde for, eu vou
Eu vou seguir seguir seguir
Até me perder por aí

RAP
Não sou que nem você
Não sou nem penso em ser
Isso que você pensa que eu sou (JUNTOS)
Nem tudo aquilo é seu
Nem o que você vendeu
Nem o que você comprou, é
Nem tudo tem um porquê
Nem tudo é tão real
Mas pode ser um sinal e se for

REFRÃO
(2x) (JUNTOS)

Pimental e sal
Na embolada a rima é natural
Pimental e sal
Pra levantar o astral (2x)

Ver letra completa

13. Tudo Certo

Posso? Pode. Demorou
Quero que a sorte me ajude nas batalhas que eu travo
Mas do berço ao Ataúde vou do berço à atitude
Não importa a latitude ou a longetude
Povo que não tem atitude acaba por ser escravo
Nem centavo nem milhão nem o dobro nem metade
Nem a prata nem o ouro nem o euro nem o dólar
Nem fortuna nem esmola
Do lado que eu conheço pago o preço de viver sem liberdade
Felicidade não é coisa de outro mundo
Eu não sou um vagabundo mas eu sei vagabundear
Trabalho duro penso no futuro
Mas o presente eu vou desembrulhar
Como disse a Berenice falou e disse
Vamo parar de meninice falou e disse
Eu nunca fujo do perigo
Falou comigo?
Amiga chama as amigas
Que eu eu vou chegar com os amigos

REFRÃO

Confia em mim que no fim dá tudo certo
Avisa para as amigas que está tudo certo
Eu chego com os amigos e está tudo certo
Se ainda não deu certo é porque ainda não chegou no fim
E no fim dá tudo certo
Avisa para as amigas que está tudo certo
Eu chego com os amigos e está tudo certo

Churrascada lá em casa
Traz a carne para o espeto
Traz o gelo pra gelada
Traz o verde pra salada
É sempre um bom motivo para juntar a rapaziada
O chimarrão na praia ou no rincão representa a tradição
Que passa de mão em mão
Da mão que passa pra boca que passa pra outra mão
Que passa pra outra boca com sorriso de satisfação
Abre a roda do Chimas deixa eu chegar
Deixa eu puxar a bomba até a cuia roncar
Damas primeiro mas vai devagar
Cuidado que é pra não se queimar

Como disse a Berenice falou e disse
Vamo parar de meninice falou e disse
Eu nunca fujo do perigo
Falou comigo?
Amiga chama as amigas
Que eu eu vou chegar com os amigos (to chegando)

REFRÃO

Confia em mim que no fim dá tudo certo
Avisa para as amigas que está tudo certo
Eu chego com os amigos e está tudo certo
Se ainda não deu certo é porque ainda não chegou no fim
E no fim dá tudo certo
Avisa para as amigas que está tudo certo
Eu chego com os amigos e está tudo certo

Gosto do que é bom e o que é bom não enjoa
Curto a minha vida que ela é curta mas boa
Não tem carne eu como peixe
Não tem mate eu bebo agua
Não tem festa a gente faz a festa de duas pessoas
Eu e você você e eu chega mais perto
Porque você está tão longe
Não esconde este sorriso assim

Confia em mim que no fim dá tudo certo
Avisa para as amigas que está tudo certo
Eu chego com os amigos e está tudo certo
Se ainda não deu certo é porque ainda não chegou no fim

Me dá um um pouco da boca me dá um naco da nuca
Não se preocupa eu não estou louco nem você maluca
Agora é tarde pra tremer de medo e ainda é cedo pra morrer de culpa

Como disse a Berenice falou e disse
Vamo parar de meninice falou e disse
Eu nunca fujo do perigo
Falou comigo?
Amiga chama as amigas
Que eu eu vou chegar com os amigos (chega aí)

REFRÃO

INCIDENTAL – Churrasco, bom chimarrão
Fandango, trago e mulher
É disto que o velho gosta
É isso que o velho quer (3x)

REFRÃO

INCIDENTAL – Churrasco, bom chimarrão
Fandango, trago e mulher
É disto que o velho gosta
É isso que o velho quer (2x)

Ver letra completa

14. Correr pro Abraço

Vou correr pro abraço
Correr pro abraço
Se eu tivesse várias vidas e todas ao mesmo tempo
Diversas identidades, idades e pensamentos
Se eu visse com vários olhos, falasse com varias línguas
Beijasse com várias bocas e todas ao mesmo tempo
Se eu morasse em vários lares e todos ao mesmo tempo
Tivesse várias famílias, divórcios e casamentos
Milhões de porta retratos, milhões de portas fechando
Milhões de portas se abrindo com a força de vários ventos

Eu queria estar sorrindo em todos os meus reflexos
Em todos os pedaços dos espelhos que eu quebrasse
Sorrindo de tudo que não tem nexo e do que fosse falso
Nas coisas que eu enxergasse
Sorrindo, sorrindo pra você
Com todos os meus sorrisos de todas as minhas faces
Melhor que rir é rir com alguém do seu lado
Sorriso dividido é sorriso dobrado

REFRÃO:
Eu vou correr pro abraço
Não faço tudo que amo, mas amo tudo que faço
Vou correr pro abraço
Eu sou guerreiro e com guerreiro não se rende ao cansaço
Eu vou correr pro abraço
Sou batuqueiro e batuqueiro nunca perde o compasso
Correr pro abraço, correr pro abraço
Sou artilheiro e artilheiro que só mete golaço

Se eu tivesse vários sexos, trouxesse vários complexos
Comprasse vários grilos, pagasse vários vacilos
Talvez eu visse naquilo algum motivo de orgulho
Razão pra arrependimento ou os dois ao mesmo tempo
Se eu fosse levar em conta na ponta de vários dedos
Contava vários segredos daqueles que não se conta
Se eu fosse levar a culpa, talvez mudasse o enredo
Um pouco mais de coragem, um pouco menos de medo
Se eu fosse fazer de novo, talvez fizesse mais cedo (3x)

Eu queria estar sorrindo em todos os meus reflexos
Em todos os pedaços dos espelhos que eu quebrasse
Sorrindo de tudo que não tem nexo e do que fosse falso
Nas coisas que eu enxergasse
Sorrindo, sorrindo pra você
Com todos os meus sorrisos de todas as minhas faces
Melhor que rir é rir com alguém do seu lado
Sorriso dividido é sorriso dobrado

REFRÃO

Ver letra completa

15. Mi Casa su Casa

Atenção, tripulação: portas em automático
Tentei fazer o speech mas falei muito rápido
Você não me escutou, nem prestou atenção
E já desembarcou com a sua bagagem de mão
Verificou se levava consigo todos os pertences?
Cuidado ao retirá-los, pois no pouso ou decolagem
eles podem ter mudado de lugar
Você voou e desligou o aparelho celular
No meu radar você nem aparece
Controladores de vôo não vêem meu SOS
Você me despachou, me extraviou do seu destino
Passageiro desacompanhado, eu sou um menino
Olhando as nuvens lá fora formando estranhas figuras
E eu, que nunca fui de ter medo de altura, olhei pra baixo e já me deu tontura
Cadê você? Me orienta, me segura, que agora eu quero descer

REFRÃO
Mi casa su casa, seja bem-vindo
Eu tô sempre chegando, eu tô sempre partindo
Minha casa tem asa e saída de emergência
Minha vida balançando, eterna turbulência (2x)

Um vôo dentro do outro e o sol batendo nos dois
Não cega os olhos que olham o agora enxergam o depois
Eu fecho os olhos e abro na tela uma outra janela
E nela você desfila, modelo na passarela
Sem salto e sem maquiagem, sem nada, sorri pra mim
Mas nem as tops mais tops das tops sorriem assim
Dou stop rewind volta play para passa outra vez
Você me diz umas coisas, repete tudo em inglês
E vem sorrindo, eu vejo e também sorrio
Aceita um amendoim ou um sanduíche frio?
Aceito sim, um sorriso assim sem gelo
Menina aeromenina, modelo aeromodelo
Menina aeromenina, modelo aeromodelo
Preciso te ver de novo, na volta solta os cabelos
Menina aeromenina, modelo aeromodelo
Aeromoça mulher dos meus sonhos e pesadelos

REFRÃO

Ver letra completa

Instagram:

Para receber novidades e promocões por e-mail, cadastre-se abaixo: